coisas do género

“De quem se bate pela tolerância em relação às próprias escolhas, exige-se, sempre, maior prudência nos pronunciamentos sobre as práticas dos outros.”

“Remeter-se a festa taurina para a categoria dos eventos não civilizados é tanto mais chocante quanto foi verbalizada por Graça Fonseca que, numa declaração de grande coragem e alcance, assumiu a sua homossexualidade como ato político. (…) De quem se bate pela tolerância em relação às próprias escolhas, exige-se, sempre, maior prudência nos pronunciamentos sobre as práticas dos outros. Tanto mais que estamos perante uma afronta aos portugueses que têm na festa taurina parte da sua identidade comunitária”

 

a. Pois, lésbicas e gays em geral mais valia portarem-se bem e não abusarem, que já chega serem o que são.

b. Olhem, ainda por cima, sendo mulher, convinha que tivesse algum recato.

c. Já um homem branco heterossexual não precisa de tanta prudência, porque não precisa que aceitem as suas escolhas.

d. Um homem branco heterossexual até pode escrever frases violentas como esta achando que está a ser prudente e bem intencionado.

e. Sim, isto de se ser uma mulher lésbica ou de se gostar de touradas é mais ou menos a mesma coisa: no fundo há pessoas que são alvo de crimes de ódio por gostarem de touradas, há as que se suicidam porque percebem que gostam de touradas, há as que são alvo de violações porque gostam de touradas, há as que são alvo de bullying na escola porque estão a começar a gostar de touradas, há aquelas que têm dificuldade em arranjar emprego ou apartamento porque gostam de touradas, há aquelas que até há menos de uma década não podiam casar-se nem ter acesso à parentalidade porque já gostavam de touradas. É mesmo terrível viver e ter que gostar de touradas, não admira que a identidade seja tão forte.